[Resenha] Beijo de Sangue

by - domingo, julho 03, 2016


ISBN-13: 9788579309755

ISBN-10: 8579309751
Ano: 2016
Classificação: 4.7/5
Paradise, filha do Primeiro Conselheiro do Rei, está pronta para se libertar da vida restritiva imposta às fêmeas da aristocracia. Sua estratégia? Entrar no programa do Centro de Treinamento da Irmandade da Adaga Negra para aprender a lutar por si mesma, a pensar por si mesma... ser ela mesma. É um bom plano, até tudo dar errado. As aulas são inimaginavelmente difíceis, seus colegas de sala são mais inimigos que aliados e está bem claro que o Irmão encarregado, Butch ONeal, também conhecido como Dhestroyer, está atravessando sérios problemas em sua vida particular.

E tudo isso antes mesmo de ela se apaixonar por um colega de turma. Craeg, um cidadão comum, que não se parece em nada com o que o seu pai desejaria para ela, mas que é tudo o que ela poderia pedir em um macho. Quando um ato de violência ameaça pôr fim ao programa, e a atração erótica entre eles fica cada vez mais irresistível, Paradise é testada de maneiras que ela sequer poderia ter imaginado, o que a faz ponderar se é forte o bastante para reivindicar seu próprio poder dentro do campo de batalha e fora dele.

Olá gente, como estão?

Hoje vim falar sobre um livro que eu simplesmente amei demais: Beijo de Sangue.
Vou começar dizendo que J.R Ward como sempre não decepciona seus fãs. Beijo de Sangue é o primeiro livro do Legado da Adaga Negra, podemos chamar de spin off da saga Irmandade da Adaga Negra e é onde J.R nos prometeu com traria nossos casais mais antigos com novas estórias assim como novos casais e um centro de treinamento para criar novos recrutas para esta guerra contra os Redutores.
Acompanhamos nesse livro dois casais principais: Primeiramente, Paradise – a quem conhecemos em Os Sombras – que é a filha do Primeiro Conselheiro do Rei e faz parte da glymera (aristocracia dos vampiros), tudo que ela quer é fugir do que lhe é imposto por conta de ser quem é e descobrir por si própria, após convencer seu pai que quer aprender a lutar e se defender, ele concorda que ela participe do programa. E é lá que ela reencontra Craeg, um cidadão comum que não parece em nada com o que a sociedade em que ela cresceu acha uma par devido para ela.
E o segundo casal, um casal que já conhecemos e amamos que é Marissa e Butch – também conhecido como Bonzão e também conhecido como Dhestroyer.
Marissa e Butch passam por alguns problemas na relação que faz um paralelo maravilhoso com a relação de Craeg e Paddy já que em ambos os casos a mulher faz parte da alta glymera e o homem é nada mais nada menos que uma pessoa comum.
Devo começar dizendo que esse livro é um tanto mais leve que a saga principal, os protagonistas são um pouco mais novos e o que acontece com Marissa e Butch apesar de ter a sua cota de escuridão é algo que pode ser relacionados com problemas em um casamento e que foi muito legal de ser lido. Primeiramente vou falar sobre esse casal, eles nunca foram meus favoritos e Marissa era de longe a minha personagem feminina favorita, mas devo admitir que após ler esse livro comecei a gostar e muito dela, acho que ela foi bem firme ao que queria e mesmo amando o marido ela faria o que fosse necessário para ser escutada.
Gosto bastante que – como J.R nos prometeu – o livro dá uma revivida nos casais que conhecemos. Uma das minhas cenas favoritas é uma cena que envolve todas as Shellans e é algo que sempre reclamei com o passar dos livros que sentia falta da amizade delas, e desde os Sombras parece que J.R está sentindo a mesma falta porque... Oh cena maravilhosa. Claro que também dei uns ataques em cenas simples onde outros personagens eram mencionados, tais como Nalla e toda sua fofura. E adorei rever a relação de V. e Bush e em como essa relação de nada afeta Marissa.
Ah, e Lassiter. Oh, anjo.
Mas claro que todas essas cenas maravilhosas não abafam o outro romance, o de Craeg e Paradise.
Craeg e Paradise são um dos sete trainees (como são chamados os recrutas) que passaram e conseguiram entrar para o centro de treinamento. Paddy, orgulhosamente, é a Primus (a que passou em primeiro lugar, com honra ou, mais especificamente, quem ficou em pé por último) provando que ela falou sério quando queria se mostrar mais do que apenas uma fêmea qualquer. O que ela não previu é que não poderia evitar essa conexão e atração que sentia por Craeg, ou vice-versa. E ele com certeza não estava preparado.
Conhecemos também os outros trainees e futuros protagonistas, meus favoritos sem dúvida são Axe, Novo e Peyton – melhor amigo de Paradise -. Os outros dois, eu realmente prefiro não falar. Já sabemos que Axe é o protagonista do próximo livro, e gostaria de saber mais sobre Novo e a amizade dela com Paradise também, gostei muito do fato que J.R poderia fazer as únicas mulheres do centro como inimigas, o que acontece muito em livros, mas decidiu fazer elas amigas. E Peyton. Apesar de não ter gostado de Peyton de cara durante Os Sombras por causa da reação dele quando Paradise disse que queria lutar, ele realmente me reconquistou nesse livro tendo uma amizade pura com ela, mesmo que no fundo no fundo ele pudesse gostar dela, logo que percebe que a amiga escolheu Craeg ele dá um passo para trás e respeita a escolha dela.
Amei esse livro como todos os outros de J.R, ele trouxe aquele gostinho de como era no começo. A única coisa que não gostei foi da relação de Craeg e Paddy ter acontecido de forma tão rápida, apesar de saber que acontece e muito nos livros da J.R, principalmente pelo fato de na raça deles, eles meio que sabem que é “aquela”, ainda assim senti uma rapidez que me deu certo tic, mas não deixou de ser um romance foooooooooooda.

E vocês? O que acharam desse livro? Não leram? O que estão esperando? Corram.

Até o próximo post.
assinatura glace

You May Also Like

0 comentários

Olá pessoal! Sejam bem vindos à nossa seção de comentários, a opinião de vocês é de extrema importância para nós e vamos adorar ler cada comentário, mas claro, nunca se esqueçam de que gentileza gera gentileza ♥